Sistema Automatizado para Cadastramento de Equipamentos de Distribuição de Energia Elétrica

Marco Aurélio Moreira Saran

LAT-EFEI: Laboratório de Alta Tensão - Universidade Federal de Itajubá, MG, 2005

Download PDF Download PDF

Abstract:

Este trabalho mostra a solução adotada para um sistema de cadastramento e inspeção em campo de isoladores e páraraios, utilizando handheld's, medidores de ultra-som e de rádio interferência.
Os equipamentos instalados no sistema de distribuição são inspecionados em campo e cadastrados. Se identificados e classificados como possuindo algum tipo de problema são removidos e substituídos, posteriormente submetidos a ensaios em laboratório, sendo todos os dados e resultados cadastrados em um banco de dados.
Por fim é feita uma análise dos resultados do projeto que tem por objetivo reduzir a quantidade de desligamentos de uma rede de distribuição de energia elétrica.

Introduction:

O sistema elétrico brasileiro e de muitos outros países foram tradicionalmente mantidos pelo poder público, por serem uma infra-estrutura de valor estratégico. Porém, nas últimas décadas existe uma tendência mundial em transferir estes serviços para a iniciativa privada.
Outro fenômeno ocorrido, principalmente no Brasil, foi a criação do Código de Defesa do Consumidor (Lei Federal n.º 8.078 de 11 de setembro de 1990), que estabelece uma série de obrigações às empresas no que diz respeito à qualidade e continuidade dos produtos e serviços fornecidos e, da mesmo forma, estabelece penalidades, possibilitando a maior conscientização da população em relação a seus direitos enquanto consumidores. Com relação às concessionárias de energia, no que tange às responsabilidades de pessoas jurídicas ou de direitos privados, não diferem daquelas dispensadas ao fornecedor ou prestador de serviços individuais. Portanto, nada há nesta lei que não as aplique às concessionárias, muito pelo contrário, as exigências de certa forma se ampliam tendo em vista seu maior poder econômico e o universo de atuação delas.
Após as privatizações das concessionárias de energia elétrica no Brasil, toda a distribuição e a qualidade do serviço passaram a depender da iniciativa privada.
Porém como o serviço prestado afeta não só a economia como a qualidade de vida de toda a população, foi criado pelo governo um órgão regulador com a finalidade de controlar e fiscalizar as empresas do setor.
A Agência Nacional de Energia Elétrica, a ANEEL, autarquia em regime especial, vinculada ao Ministério de Minas e Energia (MME), tem como atribuições: regular e fiscalizar a geração, a transmissão, a distribuição e a comercialização da energia elétrica, atendendo reclamações de agentes e consumidores com equilíbrio entre as partes e em beneficio da sociedade; mediar os conflitos de interesses entre os agentes do setor elétrico e entre estes e os consumidores; conceder, permitir e autorizar instalações e serviços de energia; garantir tarifas justas; zelar pela qualidade do serviço; exigir investimentos; estimular a competição entre os operadores e assegurar a universalização dos serviços.
A missão da ANEEL é proporcionar condições favoráveis para que o mercado de energia elétrica se desenvolva com equilíbrio entre os agentes e em benefício da sociedade.
Uma das atribuições da ANEEL com relação às concessionárias é a de fiscalizar e estipular metas de continuidade e qualidade de fornecimento aos consumidores. Foram criados indicadores de qualidade técnica, com relação aos consumidores individuais têm-se a Freqüência de Interrupção por Unidade Consumidora (FIC) e Duração de Interrupção por Unidade Consumidora (DIC), e com relação aos grupos de consumidores, têm-se a Freqüência Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora (FEC) e Duração Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora (DEC). Inclusive sendo passível de penalidades para as concessionárias que desrespeitarem os limites estabelecidos.
Este projeto de pesquisa e desenvolvimento, conduzido para uma concessionária do sul do país, foi motivado por um problema de grande quantidade de desligamentos em sua rede de distribuição (13,8 e 23,1 kV). Estes desligamentos causam um grande impacto no DIC e FIC, e conseqüentemente no DEC e FEC, podendo a concessionária ser penalizada, até mesmo com multas, se estes índices ultrapassarem os limites estipulados pela ANEEL.
O objetivo do projeto é de identificar as causas dos desligamentos e propor soluções para a melhoria da rede, para que se reduza o número de desligamentos, assim melhorando a qualidade do serviço prestado e evitando a ultrapassagem das metas estipuladas.

References:

[1] Catálogos e sites de fabricantes de handheld’s, palm-top’s e PDA’s;
[2] Site da ANEEL, Agência Nacional de Energia Elétrica;
[3] Wallace P. de Oliveira e Wellington P. de Oliveira - “Desenvolvendo Aplicações Palm com NS Basic”, Editora Ciência Moderna, 2005;
[4] J. Borges - “Programando para Palm OS com VB e AppForge”, Editora Ciência Moderna, 2002;
[5] L. R. Foster - “Palm OS Programming Bible”, Second Edition, Wiley, 2002;
[6] N. Rhodes e J. McKeehan - “Palm OS Programming: The Developer’s Guide”, O’Reilly, 2001;
[7] M. Holmes, P. Burton e R. Knoell - “Programming Visual Basic for the Palm OS”, O’Reilly, 2002;
[8] PalmSource Inc. - “Programming Languages and Tools for Palm”, 2002;
[9] W. P. Alves – “Desenvolvimento de Aplicações de Banco de Dados para Palm OS”, Editora Érica, 2003;
[10] Normas Brasileiras da Associação Brasileira de Normas Técnicas, ABNT NBR, 5049 e 5287, 1985;
[11] J. Mamede Filho - “Manual de Equipamentos Elétricos”; Volume I, 2ª Edição, Livros Técnicos e Científicos Editora, 1994;
[12] Convênio Eletrobrás/UFSM - “Coordenação de Isolamento”; Curso de Engenharia em Sistemas Elétricos de Potência; Volume 8, 1979.


Back to Projects - Voltar aos Projetos

© 2017-2018, Marco Aurélio M. Saran
All rights reserved